Natureza - Serras / Paisagens | Cadaval Cativa

Saltar para conteúdo

Paisagens

Com um território rico em paisagens que emanam a génese rural do Concelho, evidenciando o resultado de centenas de anos de cultivo agrícola e respetivas atividades complementares.

É, ainda nos dias que correm, evidente a relevância que a cerealicultura assumiu outrora no quotidiano concelhio, pois para além das espigas constantes da heráldica do Município, são parte integrante da paisagem, um pouco por todo o concelho, os inúmeros moinhos, de vento e de água, que se dedicavam à moagem dos cereais aqui produzidos. Já o vinho, cujos cachos de uva também constam da heráldica do Município, continua a marcar a paisagem concelhia e a deter a sua relevância na economia local. São vastas as vinhas, quer isoladas, quer integradas em quintas de produção vínica, e são imponentes as Adegas Cooperativas, com várias décadas de laboração, localizadas à entrada das localidades onde se inserem. Os pomares de pêra rocha, a perder de vista, que alternam entre o branco, quando em flor, e os verdes e amarelos na altura da apanha e semanas seguintes. Atualmente a cultura mais importante do concelho, tendo o mesmo sido apelidado de “capital da pêra rocha” por Sua Excelência o Presidente da República, Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, aquando de uma visita ao Cadaval, em 2008. Com características paisagísticas muito peculiares dada a localização das duas serras, a imponente Serra de Montejunto, também conhecida entre a população local por Serra da Neve, e a Serra de Todo-o-Mundo, e a sua proximidade ao mar. Fatores esses que, para além de conferirem um certo isolamento à população do concelho, influenciam o clima e têm permitido a existência de culturas específicas e, subsequentemente, de tradições quotidianas próprias.